1˚ de julho – Canada Day, a Fête du Canada

1˚ de julho – Canada Day, a Fête du Canada

27/06/2021 2 Por William Zimmermann
Compartilhar:

Dia 1˚ de julho é feriado em todo o Canadá. Conheça a história do feriado da formação do Canadá.

Dia 1˚ de julho é feriado em todo o Canadá e você saberia me dizer o porquê? Se a sua resposta for não, não sei, ou se ela se resume a dizer que é o Canada Day ou a Fête du Canada, em português Dia do Canadá, creio que precisará de nossa mãozinha para conhecer a história da formação do Canadá.

O que se comemora no dia 1˚ de julho?

@breezyjohnsonphoto via Twenty20. Crianças celebrando o Canada Day com bandeiras do Canadá nas mãos.

Neste dia, comemora-se o aniversário da unificação do Canadá e a formação de um domínio, o Domínio do Canadá ou Confederação Canadense (Confederação do Canadá). Porém, não se trata de um feriado de independência, o que só veio a acontecer posteriormente.

Resumindo, em 1 de julho de 1867, foi criado o Domínio ou Confederação Canadense, formado por 4 províncias: Ontário, Québec, New Brunswick, e Nova Scotia. Em outras palavras, podemos dizer que nesta nasceu o país chamado Canadá.

No dia 1˚ de julho se comemora o aniversário da unificação de 4 províncias britânicas para formar a Confederação do Canadá.

NOTA: O que era um Domínio? Em latim, a palavra 'domus' significa 'casa', desta derivando uma outra, 'dominus', aquele que domina a domus, ou seja, o Senhor ou o Mestre. Por exemplo, o título Dom, usado por vários reis e imperadores, bem como para titular alguns membros religiosos, vem também de domus, dominus. Em espanhol e em italiano, Don indica alguém que merece respeito. Assim, um domínio é um Estado semi-independente que possui algumas permissões especiais, como o controle do comércio, da economia e das relações locais, porém, estando sempre sujeito ao governo do Império Britânico. Em um dominion, as relações exteriores e o exército permanecem controlados pelo Parlamento Britânico. 

Depois do referendo em 1980 para a separação de Québec do resto do Canadá, o governo federal começou a focar mais e financiar as celebrações do 1˚ de julho em todo o Canadá para reforçar a unidade do país. Foi formado um Comitê Nacional que financiaria e daria suporte às comunidades que desejassem organizar eventos do Dia do Canadá.

Desde 1980, as festividades da Fête du Canada em Ottawa, a capital do país, têm seguido um protocolo, com cerimônias formais ao meio-dia na Colina do Parlamento (Parliament Hill ou Colline du Parlement), com discursos feitos por dignitários, o que geralmente inclui o Primeiro Ministro e o Governador Geral. Também ocorre a inspeção da guarda pelo Governador Geral, que é o representante da Coroa Britânica.

Concertos, shows populares de música e dança são parte das comemorações que acontecem em todo o Canadá. Também é costume haver a apresentação da “Esquadrilha da Fumaça” do Canadá, Les Snowbirds des Forces Canadiennes ou Canadian Snowbirds. A noitinha, encerrando as festividades, há uma grande queima de fogos de artifício.

Como era o Canadá antes de 1˚ de julho de 1867

A colonização europeia do que viria a ser chamado de Canadá começou com os Franceses nos idos dos anos 1500 e 1600, com Jacques Cartier e Samuel de Champlain (os links levam a mais histórias). Nos anos 1700, ocorreu a Guerra dos 7 Anos entre a França e a Inglaterra. Com isso, quase todo o território ao norte dos Estados Unidos da América passou a ser território Britânico.

Mesmo assim, muitos dos colonos que viviam no que hoje são Québec e Ontário eram de origem francesa. Isso, e outros fatores, acabaram por desencadear o que ficou conhecido como As Rebeliões Patriotas em 1837.

Nessa época, o Canadá estava dividido em duas colônias: Baixo Canadá (Québec) e Alto Canadá (Ontário). Como resultado dessas rebeliões, foi recomendado que as duas colônias se tornassem uma só província, a Província do Canadá. Essa união veio a ocorrer em 1841, a partir do Act of Union (Ato de União) de 1840. Também fizemos um vídeo no YouTube sobre o assunto, caso queira assistir basta clicar aqui. Mas não é essa união que é comemorada no dia 1˚ de julho.

A Província do Canadá passou a ter um só governador geral. Nessa época, ela abrangia somente as áreas verdes que você pode ver no mapa abaixo. Mesmo sendo uma única província, as pessoas passaram a chamar a parte de Ontário (ON) de Canada West (Canadá Oeste) e a parte de Québec (QC) de Canada East (Canadá Leste).

Province of Canada, 1841─67
Em 1841, o Império Britânico combinou as colônias do Baixo e Alto Canadá em uma única colônia chamada de Província do Canadá. A Colônia tinha duas regiões: Canada West (anteriormente chamada de Alto Canadá, ou seja, Ontário) e Canada East (anteriormente chamado de Baixo Canadá, ou seja, Québec). Fonte da imagem: The Canadian Encyclopedia. Disponível em: https://www.thecanadianencyclopedia.ca/en/article/canada-east.

Em 1841, as atuais províncias de New Brunswick e Nova Scotia eram colônias da Inglaterra, totalmente separadas da Província do Canadá, e não eram chamadas de províncias. New Brunswick, por exemplo, foi criada em 1784 como uma colônia britânica. Já a Nova Scotia era antes a colônia francesa da Acadia.

Havia uma outra colônia, chamada de Cape Breton, na verdade uma ilha que em 1763 ainda fazia parte Nova Scotia. Entre 1784 e 1820, Cape Breton passou a ser uma colônia independente das demais. No entanto, em 1820, voltou a fazer parte da Nova Scotia.

Todas as demais províncias ou territórios, como Alberta, British Columbia, Manitoba, Saskatchewan etc., eram territórios britânicos, mas não tinham o status de colônia ou província.

Mapa da América do Norte Britânica em 1795, destacando o Baixo e Alto Canadá, New Brunswick e Nova Scotia. (© Ken Pilon/Dreamstime)

Segundo a The Canadian Encyclopedia, “antes da Confederação, a América do Norte Britânica incluía Newfoundland, Ilha do Príncipe Eduardo (Prince Edward Island), Colúmbia Britânica (British Columbia), o Território a Noroeste (North-Western Territory) e os vastos territórios de Rupert’s Land (Terras de Rupert)”, que era um território privado da Hudson’s Bay Company.

Sim, a Hudson’s Bay Company (HBC), que hoje é uma loja requintada de roupas e acessórias, conhecida em Québec como La Baie d’Hudson ou simplesmente La Baie, foi fundada em 1670 e era dona de praticamente todo o Canadá (observe o mapa abaixo na área de Rupert’s Land):

Mapa do Canadá logo após 1˚ de Julho de 1867. O recém formado país/domínio Confederação do Canadá era composto pela parte em Rosa Forte, ou seja, as províncias de Ontário, Québec, New Brunswick e Nova Scotia. Em Rosa Fraco encontram-se outras colônias britânicas, como British Columbia Newfoundland, e Ilhas do Príncipe Eduardo – todas com administrações independentes do Canadá. Em Rosa Ainda Mais Fraco (?), observa-se o North-Western Territory e a Rupert’s Land, propriedade da empresa privada Hudson’s Bay Company. Direitos do mapa: direitos adquiridos pelo Québec em Foco do The Map Archive. Proibida a reprodução.

Por quê unificar?

Após as Revoltas Patriotas, Lord Durham elaborou o chamado Durham Report, que fez com que o Baixo e o Alto Canadá se unissem em uma única província, a Província do Canada Unis, em 1841. Até aqui você já sabe. Mas e depois, o que aconteceu?

De início, a Assembleia Legislativa da Província do Canadá deu o mesmo número de cadeiras para os anglófonos e os francófonos. Só que a Província do Canadá cresceu muito nos anos 1840, política, social e industrialmente. Com este crescimento, também veio a rivalidade.

Embora ambas as populações tenham aumentado, a população anglófona cresceu muito mais que a francófona. Isso fez com que os anglófonos começassem a ter uma representação cada vez maior na Assembleia Legislativa da Província do Canadá, a ponto de ficar totalmente desproporcional. Ter apenas uma legislatura parecia não estar dando conta dos interesses de duas culturas tão diferentes.

Outro problema foi a questão religiosa. A parte francesa era católica; a parte inglesa – protestante. O Governo acertou com a Igreja Católica o financiamento das escolas na província. Os católicos cuidariam das escolas, enquanto o governo as financiaria. Isso causou uma desconfiança nos canadenses anglófonos em relação ao poder da Igreja Católica francófona.

Em 1849, uma associação de Montréal, chamada Annexation Association começou a conclamar a anexação da Província do Canadá pelos Estados Unidos. É isso mesmo que você acabou de ler. Eles queriam que a Província do Canadá, isto é, Ontário e Québec, se tornassem parte do território americano.

Em resposta, a associação British American League, formada por membros do Partido Conservador (também chamados de tories, plural de tory), leais ao Império Britânico, pediu um estudo sobre a união das colônias britânicas na América do Norte. Entre 1856 e 1859, a união foi discutida com uma certa frequência nos jornais da Província do Canadá Unis, bem como na sua Assembleia Legislativa.

Nos anos 1860 as negociações para a união das províncias, colônias e territórios Britânicos na América do Norte ganharam mais força. Podemos dizer que foi o medo de que os Estados Unidos anexassem o que hoje é o Canadá que impulsionou o início da Confederação.

A confederação foi inspirada em parte pelo temor de que a América do Norte Britânica fosse dominada e até mesmo anexada pelos Estados Unidos.

The Canadian Encyclopedia

Esse temor ficou ainda mais tangível quando explodiu a Guerra Civil Americana em 1861. Segundo a Enciclopédia Canadense, “a violência e o caos da Guerra Civil chocaram muitos na América do Norte Britânica. Eles viram que a guerra fora ocasionada parcialmente por causa de um governo americano central fraco. Isso inspirou ideias sobre a necessidade de um governo central forte entre as colônias da ANB [América do Norte Britânica].”

Em 1864, os políticos das colônias e províncias Britânicas da América do Norte começaram a se reunir e negociar os termos da Confederação em encontros realizados nas cidades de Charlottetown, Québec e de Londres, na Inglaterra. Esses políticos colonos ficaram conhecidos como Fathers of Confederation, ou Pais da Confederação.

Delgados da Conferência de Charlottetown em 11 de setembro de 1864. Créditos: George P. Roberts / Library and Archives Canada / C-000733.

Após o fim da guerra civil em 1865, os Estados Unidos possuíam um grande, poderoso e experiente exército. Alguns jornais americanos chegaram a especular sobre uma possível invasão e anexação do Canadá como vingança pelos britânicos terem apoiado os sulistas americanos com armas e dinheiro durante a Guerra Civil. Muitos políticos americanos inclusive falavam em anexar também as Terras Rupert (Rupert’s Land), da Hudson’s Bay.

E “la goutte qui fait déborder le vase” foi muito provavelmente a compra do Alaska pelos Estados Unidos, em 1867!

Após a Guerra Civil, os EUA cancelaram o Tratado de Reciprocidade com o os Territórios Britânicos da América do Norte. Isso significou o fim do comércio legal de mercadorias entre eles. Porém,esses territórios dependiam muito deste comércio, afinal de contas, durante metade do ano era “só neve”. Os favoráveis à criação de uma Confederação acreditavam que um futuro País poderia retomar as negociações com os EUA.

Como resultado daquelas reuniões entre os políticos das colônias e das províncias, surgiu o British North America Act. Esse Ato teria que ser aprovador pelo Parlamento Britânico, o que efetivamente ocorreu em 29 de março de 1867, autorizando assim a criação do Dominion of Canada (Domínio do Canadá) a contar de 1 ̊ de julho de 1867.

Este documento histórico passou a ser conhecido como Ato Constitucional de 1867 (Constitution Act, 1867).

Proclamação da Confederação Canadense pela Rainha Vitória.

O Constitution Act, 1867 esboçava a estrutura do governo no Canadá e a distribuição dos poderes entre o Parlamento Central e as legislaturas provinciais (as Assembleias Legislativas de cada província). O Ato não contém a inteira Constituição do Canadá. Basicamente, o Ato descreve os poderes legislativos em termos gerais. Também dá ao Parlamento Canadense a jurisdição sobre assuntos financeiros, leis criminais, sistema postal e forças armadas. Já às províncias, dá jurisdição sobre a propriedade privada, contratos e atos ilícitos, obras e empreendimentos e negócios locais. Com o tempo, novas funções e jurisdições foram sendo acrescentadas ao Ato e outros Acts foram sendo promulgados.

O Canadá depois de 1˚ de julho de 1867

O Ato Constitucional reunia três das cinco colônias da América do Norte Britânica em um estado federativo com um sistema parlamentar nos moldes do britânico. As três colônias eram Nova Scotia, New Brunswick e a Província do Canadá, que passaria novamente a ser dividida entre Québec e Ontário.

A Hudson’s Bay Company vendeu em 1870 a Rupert’s Land para o Canadá, expandindo assim o novo país com a adição de Manitoba e os territórios do Noroeste (North-West Territories). Já a Colúmbia Britânica (British Columbia) foi incorporada à Confederação em 1871. Na tabela abaixo você pode ver quando cada província ou território se juntou a Confederação Canadense.

Província ou TerritórioJuntou-se à Confederação
Alberta1905
British Columbia1871
Manitoba1870
New Brunswick1867
Newfoundland1949
Northwest Territories1870
Nova Scotia1867
Nunavut1999
Ontário1867
Prince Edward Island1873
Québec1867
Saskatchewan1905
Yukon1898
Tabela baseada nos dados do artigo “Confederation” da Enciclopédia Canadense. Disponível em: https://www.thecanadianencyclopedia.ca/en/article/confederation.

Observe no mapa abaixo a expansão do Canadá depois da criação da Confederação em 1˚ de Julho de 1867.

Par Made by User:Golbez. — Travail personnel, CC BY 2.5, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=667187

O Primeiro Primeiro Ministro do Canadá

Com a formação do Canadá como país, com seu próprio parlamento, era necessário um primeiro Primeiro-Ministro.

Quem foi o o primeiro Primeiro Ministro do Canadá? Foi John. A. Macdonald. Nascido em 11 de janeiro de 1815 no Reino Unido, Macdonald, aos 5 anos, imigrou com sua família para Kingston, que na época ficava no Alto Canadá, hoje Ontário. Formado em Direito, e membro do Partido Liberal-Conservador (estranho né?) ficou conhecido como um dos Fathers of Confederation (Pais da Confederação), tendo governado o Canadá por dois mandatos, entre 1 ̊ de julho de 1867 e 5 de novembro de 1873.

Bom, chegamos ao final de nosso artigo. Espero que tenha gostado. Curta, compartilhe e comente! E se quiser saber como a Fête du Canadá é celebrada em Québec, não perca o artigo sobre o Jour du Déménagement, ou Dia da Mudança, em Québec.

Fontes e Referências

  • Canada Day. The Canadian Encyclopedia. Disponível em: https://www.thecanadianencyclopedia.ca/en/article/canada-day#. Acesso em: 26/06/2021.
  • Confederation. The Canadian Encyclopedia. Disponível em: https://www.thecanadianencyclopedia.ca/en/article/confederation. Acesso em 26/06/2021.
  • Tory. The Canadian Encyclopedia. Disponível em: https://www.thecanadianencyclopedia.ca/en/article/tory. Acesso em 26/06/2021.
  • Constitution Act, 1867. The Canadian Encyclopedia. Disponível em: https://thecanadianencyclopedia.ca/en/article/constitution-act-1867. Acesso em 26/06/2021.
  • Hudson’s Bay Company. The Canadian Encyclopedia. Disponível em: https://thecanadianencyclopedia.ca/en/article/hudsons-bay-company. Acesso em 26/06/2021.
  • Confederação do Canadá. Wikipédia em português. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Confedera%C3%A7%C3%A3o_do_Canad%C3%A1. Acesso em 26/06/2021.
  • História do Canadá. Info Escola. Disponível em: https://www.infoescola.com/historia/historia-do-canada/. Acesso em 26/06/2021.

Autor

  • William é brasileiro, nascido na cidade de Feliz, no interior do Rio Grande do Sul. Mora em Québec desde 2019 e é um aficcionado por história. Com formação na área de tecnologia e de línguas antigas, é o apresentador do canal Québec em Foco no YouTube e também do bloco Café com História do podcast Conexão Québec.

Compartilhar: