Conecte-se com a gente

Cultura

O Dia (de fama) da Marmota

Chega de marmotagem! Nesse artigo te contamos tudo sobre o Dia da Marmota e o que ele tem a ver com o Canadá.

Fábio De Almeida

Publicado

em

É certo que uma galera, ao esbarrar neste artigo, vai achar que foi escrito pelo GreenPeace pra proteger a marmota em risco de extinção.  

Até pode ser… mas o tal Dia da Marmota (Groundhog Day, em inglês) é mais uma daquelas tradições tipicamente norte-americanas que a gente só ouve falar quando Hollywood resolve transformar em filme, como no caso do “Feitiço do Tempo”, com Bill Murray, de 1993, a comédia que virou até case de mindfulness e recentemente uma propaganda da Jeep, ou quando uma mais assanhada e aparecida resolve virar meme e viralizar no YouTube, com 8M de visualizações.

Mas, pra começar, você sabe o que é marmota? 

Isso mesmo, é aquela pessoa que combina nada com coisa alguma, que pegou a primeira roupa que viu no cesto pra passar, mais amarrotada do que cara de bebum.  

Mas se você pensou em artimanha de gente doida pra engabelar as outras, também acertou. É marmotagem. Daí sai um outro sinônimo pra marmota: alguém que é o maio papo furado, que fica de conversa fiada, contando historinha pra boi dormir.  

Aliás, falando em dormir, um último sentido pra marmota é de alguém dorminhoco.  

Mas, sério agora, olhe a foto de uma marmotazinha fofucha: 

Uma marmota. Foto por: @jmontanez2013 via Twenty20.

Primeiro, o bicho tem pernas curtas, ou seja, não é um Usain Bolt do mundo animal. Viu o tamanho das orelhas? Acha que ouve bem quando alguém tá se aproximando? Não, né! E o seu tamanho? Não passa de 20 cm, menor do que uma régua do Dollarama. E pra desfazer qualquer dúvida de que malfalaram o bicho, o bicho hiberna durante 6 meses do ano e uma das espécies pode chegar a hibernar 9 dos 12 meses do ano! Ou seja, trabalha só 3 meses no ano. Você tem que concordar comigo, foi muita sacanagem terem difamado o pobre do bichinho. 

A tradição meteorológica (ou seria superstição?)  

E não satisfeitos em terem manchado a reputação do peludo, resolveram incluir mais uma no seu CV: o de meteorologista dos animais.  

Aqui pelas bandas da América do Norte, desde 1887, os colonos alemães que vivam na cidade de Punxsutawney, no estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos, criaram o Dia da Marmota. 

Esta marmotagem, ops, tradição é tão séria que todos os anos, nessa época, rola um festival inteirinho dedicado ao tímido roedor. Uma semana vendendo bugingangas Made in China pra turista chinês.  

Ah, e claro, o personagem principal tem até nome: Punxsutawney Phil. Ou seja, no próximo 2 de fevereiro ela festejará 135 anos, acredita nisso?  

Não deveria, claro, pois é mentira minha, né, claro!? :o) 

Quando morre um Phil, escolhem outro pra substituí-lo, pode-se dizer que é quase um papado, só falta a fumacinha branca.  

Tá, mas qual o cruzamento entre meteorologia e marmota? 

A parada funcionar assim:  

– Depois do longo inverno, no dia 2 a marmota sai de sua toca pra dar uma olhada no tempo. Se o dia estiver ensolarado e ela vir a sua sombra, vai meter o pé, ou melhor, a pata pra dentro da toca novamente e ficar por lá mais um tempinho. Previsão do dia: o inverno vai perdurar por mais seis semanas.  

– Por outro lado, se o tempo estiver nublado e ela não puder ver a sua sombra, vai pensar: “Eitcha, maravilha, tá acabando a friaca animal, já posso botar os meus pelos de fora!” Previsão do dia: o pior do inverno já passou e a primavera tá pra chegar com força. 

E o Canadá?

Com o Canadá é vizinho de porta dos Estados Unidos, ele não poderia deixar de ter a sua marmota de estimação: Wiarton Willie. O seu nome já indica, ele vive na cidade de Wiarton, na Província de Ontário, mais precisamente na Península Bruce (Georgian Bay) e, babem, WW, pros íntimos, tem feito previsões desde 1956.  

Como Punxsutawney Phil, seu primo norte-americano, WW virou doméstico, morando numa casa do outro lado do Bluewater Park, salvando, literalmente, a pele de seus predadores. Detalhe: WW é funcionário público, sendo a cidade de Wiarton que custeia sua bem-aventurança anual. 

E tá pensando que acabou?  

Se na natureza já seria improvável que a marmota desse as caras antes do meio de março, ainda mais vendo pelo basculante de sua toca aquele monte de gente com celular na mão só na espreita, quiçá sendo criada no bem-bom de uma casa aquecida com comida paga pelos contribuintes.  

Solução?  

Dar uma cutucada na marmota pra ela despertar de sua hibernação antes do tempo. Afinal, o anual evento atrai milhares de curiosos, com atividades que incluem desfile, torneio de hóquei no gelo e curling, danças e até um café da manhã regado com crepes como é a tradição francesa da Chandeleur (Candelária, em português). 

Porque a cara de surpresa, gente? Século XXI, mundo capitalista bombando.  

Ciência versus Fakenews 

Os organizadores do “Dia da Marmota” afirmam que as previsões dos peludos são 75-90% precisas. Eles também juram de pés juntos que Elvis e Michael Jackson não morreram e que estão escondidos na mítica Área 51. 

Porém, com ciência não se brinca. Segundo os registros climáticos canadenses dos últimos 30 a 40 anos para 13 cidades no Canadá, no dia 2 de fevereiro houve tantos dias ensolarados quanto nublados. Nesse período, as previsões meteorológicas marmotinianas acertaram apenas 37% dos casos. 

As previsões meteorológicas marmotinianas acertaram apenas 37% dos casos

Já a americana NOAA, de National Oceanic and Atmospheric Administration, o seu Punxsutawney Phil acertou 50% das vezes nos último dez anos.  

Quer dizer, 37% no Canadá e 50% nos Estados Unidos, tá mais fácil acertar chute no ENEM. Uma grande marmotagem! 

Tudo vem de algum lugar 

Claro, existe uma origem, digamos, mais original pro Dia da Marmota.   

Na Europa Medieval, o 2 de fevereiro correspondia à celebração da “Chandeleur” (Candelária), festa da cristandade durante a qual se acendiam as “chandelles” (velas) (daí o nome “Chandeleur”, Candelária).  

Em suas origens pagãs, os camponeses purificavam suas terras carregando tochas antes de semeá-las. Se houvesse farinha excedente, ela seria usada para fazer “crepes” (panquecas), considerados como um símbolo de prosperidade para o próximo ano. Nesta data também se festeja o intervalo entre o solstício de inverno (21 de dezembro) e o equinócio da primavera (20 de março). 

Curiosidade

Há outras marmotas meteorologistas espalhadas Canadá afora:  

– Balzac Billy, em Alberta,  

– Brandon Bob e Winnipeg Willow, em Manitoba,  

– Gary the Groundhog Oil Springs Ollie, em Ontário,  

– Fred la marmotte, em Val d’Espoir, em Québec,  

– Two Rivers Tunnel e Shubenacadie Sam, na Nova Escócia. Este último também vive no Parque Provincial Shubenacadie e passa o inverno sem hibernar para poder uma melhor performance cenográfica (e turística). 

– Por fim, desde 2014, a cidade de Toronto, em Ontário, tem seu próprio meteorologista peludo: Dundas Donna

Referências: 

Como diz a Mocidade, "sonhar não custa nada e o meu sonho é tão real..." Sou um resiliente imigrante e commis pra toda obra. Não rir e não tomar sustos são meus maiores desafios. Se creio em algo? Claro, em você ser humano. Defeitos? Só um, ser flamenguista. Isso não é defeito? Então sou a perfeição em forma de Fábio! Faça o bem, não importa como, quando, onde e a quem. Apenas faça o bem.

Anúncio
1 Comentário

1 Comentário

  1. Artigos Relacionados: O Brasil é ruim, mas é bom; morar fora é bom, mas é ruim

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.