As Rebeliões dos Patriotas (Rébellions des Patriotes) no Canadá

As Rebeliões dos Patriotas (Rébellions des Patriotes) no Canadá

12/05/2021 5 Por William Zimmermann
Compartilhar:

Entre 1837 e 1838 aconteceram no Baixo Canadá (ou Canadá Inferior – português europeu) e no Alto Canadá (ou Canadá Superior – português europeu) diversas revoltas contra a Coroa Britânica. As revoltas que ocorreram no Baixo Canadá, atual Québec, ficaram conhecidas como Rébellions des Patriotes. Essa é a sua história.

Quem eram os patriotas

Os patriotas eram um partido político fundado em 1826 o “Parti Patriote“, anterior Parti Canadien. Seu líder era Louis-Joseph Papineau. O partido era republicano e fora influenciado pela guerra de independência americana e pela revolução francesa.

Reivindicações

Quais eram as principais reivindicações do Parti Patriote?

  • Eles queriam que os membros do conselho legislativo do Baixo Canadá (Québec) fossem eleitos, e não nomeados pelo governador.
  • Também queriam que os canadenses francófonos (ou seja, que tinham como principal língua o francês) pudessem trabalhar no setor público.

Em 1834 é enviado ao Rei da Inglaterra um documento com 92 resoluções contendo as reivindicações propostas por Papineau e seu partido.

A resposta do governo – 10 Résolutions Russel

Somente 3 anos depois é que Londres dá uma resposta por meio de um documento conhecido como “10 résolutions Russell“. A resposta é não a cada uma das resoluções do partido patriota. Além disso, não somente os membros do conselho seriam escolhidos pelo governador do Rei, mas também os membros da Assembleia – o que incluía os do partido patriota. A economia já ia de mal a pior. As 10 résolutions Russel foram o estopim para uma revolta.

A partir daí, começam-se uma série de assembleias conclamando o povo à revolta. Os deputados e suas esposas organizam um boicote a produtos de origem inglesa e conclamam o povo a fazer o mesmo. Por causa disso, os deputados deixam de usar as mesmas roupas que os ingleses usavam e a vestimenta da imagem abaixo torna-se símbolo dos patriotas.

A revolução começa

Em 23 de outubro de 1837, em Saint-Charles-sur-Richelieu, mais de 5000 pessoas vem escutar durante 2 dias a Papineau e Wolfred Nelson. Nelson, um médico nascido em Montréal mas de origem Americana (seus pais eram de Nova York e fugiram dos Estados Unidos depois da derrota inglesa na Guerra de Independência Americana) e simpatizante da causa patriota, era mais exaltado e conclamava à revolução armada, enquanto Papineau não apoiava isso.

A Igreja Católica também toma posição. A figura chave aqui foi Jean-Jacques Lartigue, bispo de Montréal. Ele convida os fiéis a se submeterem às autoridades britânicas. E pasmem: Jacques Lartigue era sobrinho de Papineau. Amigo da onça, não?

Após essas assembleias, mandatos de prisão são emitidos contra 26 chefes patriotas. Papineau e os outros se escondem e esse é o começo das revoltas armadas.

As batalhas mais conhecidas são efetuadas em Saint-Dennis e Saint-Charles.

Logo de cara os patriotas vencem em Saint-Dennis (cujo chefe era Wolfred Nelson). Os 300 soldados britânicos tem que recuar. Começaram bem né? Mas o gostinho da vitória não durou muito.

Todas as outras batalhas são perdidas. Na batalha de Saint-Charles, ocorrida em 25 de Novembro de 1837, por exemplo, 150 patriotes são mortos, enquanto somente 3 soldados britânicos morrem. Com as diversas derrotas, Papineau e Wolfred Nelson fogem para os EUA.

Enquanto isso, o governo colonial impõem a Lei Marcial. Alguns milhares de canadenses leais à Coroa se voluntariam e exercem um papel importante na repressão aos patriotas. Após as batalhas, segundo a enciclopédia canadense, os leais a coroa saqueiam e queimam as vilas canadenses-francesas.

Papineau tenta convencer o governo americano a apoiar a causa dos patriotas mas não consegue. O governo Inglês lança uma recompensa grande por informações sobre Papineau e ele foge para a França, tentando também conseguir o apoio deles, mas não consegue – eles querem se manter neutros no conflito.

Em 14 de dezembro 1837 acontece outra batalha, a Bataille de Saint-Eustache. Perdas: 3 britânicos e 70 patriotas.

Rebeliões no Alto-Canadá

Inspirados pela revolta dos patriotas, anglófonos radicais do Alto-Canadá começaram a planejar revoltas contra a Coroa Britânica. A revolta é dirigida por William Lyon Mackenzie, um político e editor de origem escocesa. Essas revoltas também foram significativas e tiveram até mesmo alguma sincronização com os líderes das revoltas dos patriotas.

1838

Em 2 de janeiro de 1838 os chefes exilados dos patriotas se reunem em Middlebury, Estados Unidos. Luis-Joseph Papineau pregava a moderação, mas o o irmão de Wolfred Nelson, Robert Nelson, não concordava. Então Papineau é afastado da chefia do grupo. Nelson decide, mesmo sem o apoio de Papineau, retomar a batalha.

Em 28 de fevereiro de 1838 Robert Nelson faz uma incursão ao Baixo Canadá. Com seus cerca de 300 a 400 homens (patriotes bas-canadiens e voluntários americanos), em Albourgh (no estado de Vermont), ele proclama a independência do Baixo Canadá, distribui uma declaração de independência e se auto-proclama Presidente da República do Baixo-Canadá.

Entre outras coisas, nessa proclamação de independência, promete-se uma república livre, com total liberdade de imprensa, direito de voto a todos os homens de mais de 21 anos, a separação da igreja do Estado, educação para todos e a abolição do regime senhoril. Ele prometia também uma república bilíngue onde os povos indígenas teriam os mesmos direitos que os europeus – o que era revolucionário para a época.

Mas isso não dura muito porquê ele seria preso pelo exército americano por ter violado a lei de neutralidade dos Estados Unidos. No entanto, ele tinha alguns admiradores lá nos EUA e é liberado.

Nos meses seguintes, Nelson funda uma associação militar secreta chamada de “Frères Chasseurs” e começa a recrutar combatentes – o que incluía americanos que se voluntariaram.

Nelson decide atacar e em 9 de novembro eles marcham em direção a Oddeltown, uma cidadezinha na fronteira do Baixo Canadá com os EUA. essa batalha fica conhecida como Bataille d’Oddeltown. Eram cerca de 1000 soldados britânicos contra cerca de 600 milicianos patriotes. 6 soldados do império são mortos, enquanto de 10-12 patriotes perdem a vida. A revolta patriota é suprimida e a grande maioria foge para os EUA.

Resultado

Depois da rebelião, a Império Britânico vai enviar John George Lamton, o Lord Durham, para abrir uma CPI, por assim dizer. O que causou a revolta? Em 1839 ele faz um Relatório onde recomenda a união do Baixo Canadá (Québec) com o Alto Canadá (Ontário). O objetivo era assimilar os canadenses franceses à cultura Inglesa. Mas isso também permite que os canadenses-franceses começassem a fazer parte do governo e alguns conseguem alguns direitos como o do reconhecimento do uso do francês no parlamento.

Em 15 de fevereiro de 1839, 5 patriotas são enforcados publicamente em Montréal.

A revolta dos patriotas deixou um total de 105 mortos em batalha (73 do lado dos patriotas e 32 do lado leal a Coroa) e 12 patriotas executados posteriormente.

Em 1845 é dado um armistício aos insurgentes e Papineau volta para Québec. Ele retorna para a política e vira deputado independente.

Durante todas essas revoltas, cerca de 33.000 homens lutaram ao lado dos Ingleses e 4.000 ao lado dos patriotas.

Hoje em Québec, na segunda-feira anterior ao dia 25 de maio, é feriado – a Journée Nationale des Patriotes (ou “Dia/Jornada Nacional dos Patriotas”). A data foi instaurada em 22 de novembro de 2002 e pela primeira vez celebrada em 19 de maio de 2003. Não por azar a data foi escolhida para ser celebrada no mesmo dia em que se celebra no resto do Canadá (o Canadá Inglês) a Festa da Rainha (Fête de la Reine ou Victoria Day).

Curiosidade

Ça ne prend pas la tête à Papineau

Em português, quando queremos dizer que alguém é muito inteligente, podemos dizer que a pessoa é um Einstein. Quando algo pode ser feito sem muita dificuldade, sem requerer grande inteligência, podemos dizer: “Não precisa ser nenhum Einstein para fazer isso”. Pois bem, em francês do Québec utilizamos a expressão Ça ne prend pas la tête à Papineau“.

Resumindo, não precisa ser muito inteligente (como Paipineau) para entender algo. Papineau era conhecido por ser muito inteligente e culto. O grupo musical Québecois Les Cowboys Fringants até mesmo lançou uma música com esse nome: https://youtu.be/cjnGCw9scsM.

Fontes e Referências:

Autor

  • William é brasileiro, nascido na cidade de Feliz, no interior do Rio Grande do Sul. Mora em Québec desde 2019 e é um aficcionado por história. Com formação na área de tecnologia e de línguas antigas, é o apresentador do canal Québec em Foco no YouTube e também do bloco Café com História do podcast Conexão Québec.

Compartilhar: